Roupa de suspeita de matar família tinha manchas de sangue, diz polícia

Compartilhe!

As diligências realizadas pela investigação do crime que culminou na morte de um casal e seu filho adolescente em São Bernardo, na última terça-feira (28), encontraram manchas de sangue em peças de roupa da filha mais velha, principal suspeita da morte dos familiares.

Em coletiva de imprensa, o delegado do Deic (Departamento de Investigações Criminais) do município do ABC Paulista afirmou que roupas encontradas na casa da família apresentavam manchas de sangue na altura do joelho e da genitália.

“O que nos surpreendeu foi o sangue no joelho. Ela disse que toda mulher tem esses problemas, mas foi mais um elemento [para a investigação]”, afirmou Paul Henry Verduraz.

Ainda de acordo com Verduraz, os autores – há mais de um suspeito além da filha e sua esposa – levaram da casa elotrodomésticos, R$ 8 mil e mais uma quantia em dólares.

Um elemento primordial para as investigações, segundo o delegado, foi o depoimento de uma testemunha, agora protegida pela Polícia.

Esta pessoa deu detalhes sobre a noite do crime, como o transporte de objetos aparentemente pesados, e a presença de um homem, de cerca de 1,90m, junto das duas suspeitas.

O caso

Na madrugada da última terça-feira (28), três corpos foram encontrados carbonizados dentro de um carro em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Quando as equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros chegaram ao local, uma zona isolada de mata, o veículo ainda estava pegando fogo.

Os corpos eram de um casal e seu filho mais novo, de 15 anos. As principais suspeitas do homicídio seguido de incêndio são a filha mais velha, de 24 anos, e sua esposa, de 31.

Na primeira visita da polícia à casa onde a família morava, os agentes encontraram o imóvel revirado, além de marcas de sangue pelos cômodos. Os investigadores acharam estranho que a residência estivesse nestas condições, uma vez que não havia sinais de arrombamento.

Um laudo preliminar da polícia apontou, antes de terem seus corpos carbonizados, as três vítimas morreram com pauladas na cabeça. Como todos os golpes foram do lado direito, a suspeita é de que o autor seja canhoto.

As suspeitas sobre a filha ganharam força depois de as imagens da câmera de segurança mostrarem que ela e a companheira estavam na casa na noite do crime. O carro das mulheres foi visto saindo ao lado do veículo onde os corpos do casal e do adolescente foram encontrados.

Em depoimento, a suspeita mencionou um possível envolvimento com agiotas, mas a Polícia Civil já tinha como uma das linhas de investigação uma possível briga familiar.

Por contradições no depoimento, o delegado responsável pediu a prisão temporária da filha e sua esposa na quarta-feira. Os pais, segundo a investigação, não aceitavam o relacionamento da filha com outra mulher.

O advogado da suspeita nega o envolvimento da cliente com o crime e disse não ter certeza se há contradições no depoimento da jovem.

O boletim de ocorrência foi registrado como homicídio qualificado, incêndio e apreensão de veículo pelo 1º DP de São Bernardo do Campo (SP), e é investigado no Setor de Homicídios da Delegacia Seccional da cidade.

R7


Compartilhe!

Comente com Facebook