Membros de facção criminosa são alvo de operação da Polícia Civil em 30 municípios do Ceará

Compartilhe!

A Polícia Civil do Ceará (PCCE) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (12), a “Operação Aditum II” (que em latim significa acesso), a partir da qual cumprirá 163 mandados de prisão e quase 100 de busca e apreensão contra membros de uma organização criminosa no Estado. Foi o que informou o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), André Costa.

A ofensiva, realizada em 30 municípios cearenses, incluindo Fortaleza e Região Metropolitana da Capital, é resultado de investigações da Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco) sobre a atuação de integrantes recém-ingressos no grupo criminoso.

De acordo com o secretário da Segurança Pública, o objetivo desta segunda fase da operação é responsabilizar todos os participantes dos ataques criminosos registrados em janeiro de 2019 no Estado.

“É uma importante operação resultado dessa investigação que se iniciou com aquelas ações criminosas praticadas em janeiro do ano passado. E com todo o material apreendido, análise dos dados, dos interrogatórios realizados, a gente fez a primeira fase em março (do ano passado) e agora uma outra fase”, diz.

“Naquela época (janeiro de 2019), a gente sempre afirmava e reafirmava a nossa confiança na Polícia Civil e que essa confiança mostraria pra sociedade que todos os envolvidos naqueles ataques, naquelas ações criminosas seriam responsabilizados. É o que está acontecendo aqui em mais uma etapa”, acrescenta o secretário da Segurança Pública.

A ação conta com a participação de 312 policiais civis dos departamentos Técnico Operacional (DTO), de Polícia Judiciária Especializada (DPJE), da Capital (DPJC), da Região Metropolitana (DPJM), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV), de Recuperação de Ativos (DRA) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core). Toda a equipe envolvida na ofensiva estará dividida em cem viaturas.

O delegado geral da Polícia Civil do Estado do Ceará, Marcus Rattacaso, endossa que a Operação Aditum não chegará ao fim, após a segunda fase. “Todos eles (alvos dos mandados) são alvo em potencial. Na primeira fase, foram pegos os principais alvos e essas outras ações são decorrentes de análises de celulares, de equipamentos eletrônicos e fatos novos que apareceram”.

Balanço prévio

Até o momento, pelo menos duas pessoas foram capturadas no município de Sobral, na região Norte do Estado. Embora a operação tenha sido deflagrada nas primeiras horas desta quinta-feira, André Costa estima que não irá acabar hoje.

Em um balanço prévio ele indica que “já tem arma e droga apreendidas, e vão ter outros materiais apreendidos que serão analisados. Tudo isso levará à identificação de mais criminosos. Praticamente todos pertencem ao crime organizado e têm antecedentes criminais”, detalha.

Primeira fase

primeira fase da “Operação Aditum II” foi realizada no início da manhã do dia 21 de março do ano passado e, após pouco mais de dois meses de investigação, cumpriu 46 mandados de prisão em 15 municípios do Ceará. Todos os alvos das diligências eram recentes filiados à facção criminosa.

“Não tentem ingressar em facção criminosa porque a Polícia Civil do Estado do Ceará vai prender todos aqueles que insistirem, persistirem nessa prática criminosa”, finaliza Rattacaso.

DN


Compartilhe!

Comente com Facebook

Visitantes

19206313